A Páscoa Judaica

A Páscoa Judaica
pessach a pascoa judaica

A Pessach, ou Páscoa Judaica, celebra a libertação da escravidão do povo hebreu. É um dos momentos mais importantes do calendário religioso judaico

Esta história vem a propósito do Passeio Literário: O Último Cabalista de Lisboa, e de estarmos em plena Semana Santa, ou seja, quase a chegar à Páscoa Cristã. Mas sobretudo, lembrei-me deste tema porque recebi hoje uma daquelas memórias do Facebook, de há 11 anos, onde contava que as limpezas da Páscoa, muito usadas sobretudo no Norte de Portugal (vem aí o compasso e a casa tem de estar a brilhar para receber o senhor padre), são na verdade uma tradição judaica muito antiga. 

Pessach significa “passagem”, e representa a passagem do povo judeu da escravidão para a liberdade. Há cerca de 3.500 anos, Deus ordena a Moisés (irmão adoptivo de Ramsés II, lembra-se do filme da Disney?) que cada casa hebreia sacrifique um cordeiro, salvando assim os primogénitos das famílias hebreias, e seus descendentes, da décima e última praga: a morte dos primogénitos. Como prova de obediência, deveriam pintar os umbrais das portas com o sangue do animal sacrificado. Será possivelmente esta a origem da mezuza, dispositivo que existe no umbral da porta de entrada das casas judaicas, onde é colocado o texto sagrado, em pergaminho, e que santifica o lar judaico.

A décima praga acabou por afectar todas as famílias não hebreias no Egipto, incluindo o faraó, que vendo o seu primogénito morrer e temendo a ira de Deus, liberta finalmente os hebreus. Dizem que, na pressa da fuga, os judeus não tiveram tempo de fermentar o pão. A sua última refeição no Egipto terá sido cordeiro, ervas amargas e pão não fermentado: matza. Será por isso que na seder (o jantar cerimonial da Páscoa) não é permitido o pão fermentado, o que nos traz de volta ao que dizia no início: as limpezas da Páscoa. Este costume, muito enraizado sobretudo no Norte do país, tem origem num ritual antigo trazido pelos judeus, e perpetuado pelos cristãos-novos: na Páscoa, a casa tem de estar impecavelmente limpa, para garantir que não resta uma migalha de pão fermentado, proibido nesta época. 

Margarida Branco
© Ler por aí… (2024)

Já agora…

Booking.com

Marque a sua viagem na Booking através do link à direita: para si, não tem custos adicionais, e para nós faz toda a diferença. É um link de afiliado, através do qual podemos receber uma pequena comissão que ajuda a manter o projecto Ler por aí… Muito obrigada!


Mantenha-se a par do que fazemos. Siga-nos: FacebookpinterestrssyoutubeinstagrammailFacebookpinterestrssyoutubeinstagrammailby feather

Adorou esta página? Partilhe com os seus amigos, vão se apaixonar! FacebooktwitterredditpinterestlinkedintumblrmailFacebooktwitterredditpinterestlinkedintumblrmailby feather

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.